quarta-feira, julho 12, 2006

Políticas liberais, emagrecimento do Estado e funcionários públicos

Vasco Pulido Valente, aqui há umas semanas atrás, no Diga Lá Excelência, corroborando uma linha de pensamento mais ou menos dominante sobre a matéria, dizia que havia pouco espaço para uma alternativa liberal ao “Estado Bem Estar” (para usar a sua expressão) na Europa e, particularmente, em Portugal, porque por um lado a classe média era uma classe média dependente do Estado (criada artificialmente por este) e, por outro lado, porque estamos a falar de sociedades envelhecidas e consequentemente mais sensíveis aos cortes nos direitos adquiridos, mormente nos relacionados com a Segurança Social.

A argumentação parece-me lógica, mas eu tenho uma dúvida que pode abrir outra perspectiva sobre este assunto: é assim tão claro que toda a classe média, nomeadamente a que trabalha para o Estado, tenha a mesma posição corporativa de defesa do Estado tentacular e omnipresente? Isso para mim não é nada claro… nada!

1 comentário:

Anónimo disse...

best regards, nice info film editing schools