segunda-feira, junho 05, 2006

[Ponta sul] Portugal, como sempre!
Eu sei. Eu sei que os meus amigos andrades – e o Francisco é o seu guru blogosférico – discordam. Mas no Euro sub-21 que terminou ontem, Portugal foi igual a si mesmo. Perdeu quando não devia (podia) perder, e no último jogo em que ainda lhe sobrava uma ténue hipótese lá ganhou. Mas é claro que, nestes casos, nunca basta a Portugal ganhar no último jogo. Até porque quando basta ganhar, Portugal empata… por culpa do árbitro, do roupeiro, do tempo, de Deus… Quando, de facto, ganha o último jogo precisa de o fazer por 15 a 0! E os “outros”, no outro jogo, precisam perder, pelo menos, por 10 a 0! Mesmo quando a equipa conta com os génios injustiçados do sistema (leia-se Ricardo Quaresma) falta-lhe sempre “um bocadinho assim”! [Um bocadinho de qualidade, um bocadinho de atitude, um bocadinho de entrega, um bocadinho de jeito, um bocadinho de ousadia…]

Com Scolari – é sobre isto que os andrades discordam – as coisas, em Portugal, são diferentes. Com Scolari fomos apurados para o Mundial (apenas pela 4ª vez na história dos Mundiais de futebol) sem espinhas. À conta do nosso mérito. Com Scolari obtivemos o melhor resultado de sempre, em selecções A, nas competições internacionais de futebol: vice-campeões da Europa de futebol. Com Scolari! Só com Scolari! Já sei, estávamos a jogar em casa. Mas neste Euro sub-21 também… De resto, esse argumento diz-nos o quê? Que a Alemanha vai ser campeã do mundo?