sexta-feira, maio 05, 2006

[Retratos dos nossos] Angola, Tchamutete, 1954
Descarregaram-nos cá. Os nossos velhos traziam um nó no estômago, um aperto no coração e uma ilusão na cabeça. Estavam longe de adivinhar que 20 anos mais tarde, o calvário libertador em que até esse momento a sua vida se transformará terminará de forma devastadora. Sem ressurreição. Terão vivido uma felicidade conquistada a pulso no degredo do Império e morrerão infelizes e desamparados no degredo da Europa; na mesma terra madrasta que os viu nascer. O que gozarem da vida é o que esta terra de pretos, a troco de 20 anos de trabalho árduo, lhes proporcionar. Nós, os mais miúdos, somos a caricatura do branco ignorante em terras africanas. Depois da grande inquietação e do susto que os pretos nos causaram, lá os esfregamos, ainda a medo, para lhes tirar o carvão que lhes cobre a pele.

Sem comentários: